​Especialistas falam sobre saúde e segurança alimentar

Mesa-redonda tratou do tema da gestação à terceira idade e também abordou os cuidados da produção industrial

Levar orientações à população. Esse foi o objetivo da mesa-redonda realizada no dia 12 pela TV Estadão em parceria com a Tetra Pak. Transmitido ao vivo na página do jornal do Facebook, o evento contou com contribuições de três especialistas: o pediatra Jayme Murahovschi, livre-docente em pediatria clínica pela Escola Paulista de Medicina; a nutricionista Silvia Cozzolino, professora da USP e presidente do Conselho regional de Nutricionistas da 3ª Região (SP-MS); e o executivo Pedro Gonçalves, diretor de marketing da área de processamento da Tetra Pak. A seguir, alguns temas abordados no encontro:

Informação e obesidade

A professora Silvia Cozzolino lamentou que, embora os brasileiros venham buscando mais conhecimento sobre alimentação saudável, o sobrepeso e a obesidade vêm aumentando muito. Na opinião dela, o fato de hoje em dia as pessoas serem bombardeadas por informações, em muitos casos de fontes não confiáveis, pode gerar mais confusão do que esclarecimento. "É importante se orientar adequadamente, contando com a ajuda de um nutricionista para descobrir qual é a alimentação mais apropriada para a sua fase de vida e seu estado de saúde", afirmou.

Primeiros mil dias

O doutor Jayme lembrou a importância que a alimentação no início de vida das pessoas tem para sua saúde futura, começando já na gestação. Segundo ele, a ciência vem mostrando que os primeiros mil dias, contados a partir da gravidez, são fundamentais para regular o funcionamento do organismo para a vida toda. Esse conceito, conhecido como programming, ou programação metabólica, propõe uma alimentação especialmente equilibrada e cuidadosa para a gestante e criança até por volta dos dois anos. O aleitamento materno é parte fundamental desse processo e, exceto em casos excepcionais, deve ser a única ingestão do bebê durante os primeiros seis meses, quando começam a ser introduzidos alimentos complementares. "Nessa fase, é preciso evitar doces e comidas pouco nutritivas", recomendou. "A partir dos dois anos, os efeitos são menos graves."

Industrializados

Os especialistas falaram também sobre leite, sucos e outros alimentos industrializados que proporcionam conveniência para os consumidores. A professora Silvia Cozzolino criticou a postura de condená-los indiscriminadamente, afirmou que existem produtos de baixa qualidade, mas lembrou que há grande empenho, por parte de muitas indústrias, de manter os nutrientes naturais. Segundo ela, é importante saber distinguir os diferentes perfis de produtos disponíveis.

O diretor da Tetra Pak contou como a embalagem cartonada, inventada pelo criador da empresa em 1951, revolucionou o mercado, juntamente com os sistemas de pasteurização e ultrapasteurização de sucos, leites e outros alimentos. Essa tecnologia, que elimina micro-organismos dispensando a necessidade de conservantes,fez os produtos durarem muito mais tempo em temperatura ambiente antes de serem abertos. além da comodidade, isso trouxe importante redução de gastos com refrigeração. "A proposta da empresa é que a embalagem deve economizar mais do que custa", ressaltou Pedro Gonçalves.

Necessidade de suplementos

Dr. Jayme Murahovschi considera que eles podem ser benéficos se usados sob supervisão médica, mas se disse preocupado com exageros cometidos, sobretudo por jovens que frequentam academia e os consomem por modismo. A professora Silvia lembrou as necessidades especiais dos idosos. "É comum que, com a idade, o corpo perca um pouco a capacidade de aproveitar os nutrientes, então pode ser interessante uma suplementação", explicou. Ela citou a queda na produção de ácido clorídrico pelo organismo, que reduz a absorção de vitamina B12, presente em produtos de origem animal, e também a deficiência de ferro. Silvia enfatizou a necessidade de avaliar essas carências e a necessidade de supervisão de médico e nutricionista.

Segurança alimentar

O diretor da Tetra Pak contou que o Brasil evoluiu muito nesse quesito. "Nos anos 80, era comum casos de contaminação, mas hoje os recalls são muito rápidos e ouvimos falar muito pouco de problemas", disse Pedro Gonçalves. "Do ponto de vista industrial, somos um dos mais desenvolvidos na produção de alimentos, tanto em segurança como em produtividade."

Confira o vídeo sobre o debate:

 

Sobre

Este conteúdo é uma produção especial do Media Lab Estadão, criado em parceria com a Tetra Pak Brasil

Acesse a brand page
Media Lab Estadão