​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​Soluções assépticas para a segurança de alimentos​

A tecnologia asséptica mantém o alimento seguro e saboroso por pelo menos seis meses, sem refrigeração e conservantes. Ela permite que o alimento mantenha sua cor, textura, sabor e teor nutritivo. Nossas embalagens assépticas oferecem uma série de formas, praticidade para o consumidor e economia no consumo de energia e de materiais de embalagem.

​Nosso processo asséptico garante que os alimentos e os materiais da embalagem estejam livres de bactérias prejudiciais quando o alimento é envasado. Tudo na cadeia de produção precisa estar comercialmente estéril. Isso inclui o alimento e os materiais de embalagem, todo o maquinário e o ambiente em que ocorre o envase. ​​

Soluções flexíveis com tecnologia UHT

O tratamento ultratérmico, UHT, maximiza a destruição de microrganismos em produtos lácteos e alternativas lácteas. Essa tecnologia flexível e econômica permite portfólios de produtos inovadores, uma pegada de carbono reduzida e, em combinação com o envase asséptico, longo prazo de validade do produto. Descubra como nossas soluções UHT de última geração e experiência podem ajudar você a revitalizar suas operações.

Envase asséptico

Uma embalagem asséptica foi esterilizada antes do envase do alimento tratado por UHT (temperatura ultra-alta), resultando em um produto que pode permanecer na prateleira por mais de seis meses.

Nosso método de embalagem asséptica aplica um banho de peróxido de hidrogênio aquecido no material de embalagem liso e sem forma. Uma concentração de 30% de peróxido de hidrogênio é aquecida a 70 °C por seis segundos. Em seguida, o peróxido de hidrogênio é eliminado do material de embalagem pelos roletes de pressão ou ar quente.

O ambiente no qual o alimento é manipulado e selado precisa também estar livre de possíveis contaminações de bactérias. Isso significa que o maquinário de envase e selagem precisa ser esterilizado antes do envase e durante o processo de produção. Isso pode ser realizado usando ar e vapor quentes ou combinando o tratamento térmico com a esterilização química por peróxido de hidrogênio.
Materiais de embalagem

Esterilização de alimento

O alimento comercialmente estéril precisa ser aquecido a uma temperatura prescrita por um tempo prescrito. As temperaturas e tempos específicos dependem do alimento em questão. Os produtos alimentares líquidos com baixa acidez, como o leite, estão mais propensos a micro-organismos e bactérias patogênicas do que produtos com alta acidez, como sucos de frutas.


O tratamento UHT, ou temperatura ultra-alta, ocorre nos trocadores de calor otimizados antes do envase. Esse processo minimiza problemas de penetração de calor e reduz os tempos de aquecimento e resfriamento, ao mesmo tempo que minimiza mudanças indesejadas no sabor e propriedades nutricionais do produto.

Olhando para trás - a destruição de micro-organismos

Mesmo antes de Louis Pasteur provar, há mais de um século, que os micro-organismos causavam fermentação e doenças, Nicolas Appert, um confeiteiro de Paris, foi o primeiro a ser bem-sucedido na conservação de determinados alimentos em garrafas de vidro, que foram mantidas em água fervente por durações variadas de tempo. Isso aconteceu na primeira década de 1800 e, em 1839, recipientes em lata de alumínio estavam sendo amplamente usados. Assim, nasceu o tratamento em alta temperatura e o envase em latas como meios de conservar alimentos.


Hoje em dia, uma combinação de tratamento de calor contínuo e envase asséptico produz alimentos de alta qualidade de forma econômica.​

Tratamento térmico para alimentos longa vida nas prateleiras (autoclavagem)

A autoclavagem é um processo de esterilização em contêiner no qual a embalagem e seu conteúdo são expostos a alta pressão e alta temperatura em um ambiente úmido para que tenham prazo de validade maior. O tempo e a temperatura de exposição dependem do produto alimentar que está sendo esterilizado e vão variar entre os diversos produtores com o mesmo tipo de produto alimentar.


A autoclavagem é um processo rigoroso para qualquer tipo de embalagem e vem sendo usada de maneira tradicional principalmente com latinhas e vidro. Com a Tetra Recart®, agora é possível ter uma embalagem cartonada gerenciando o processo de autoclave rigoroso. O maior desafio no desenvolvimento da Tetra Recart foi encontrar uma estrutura de material de embalagem que suportasse as condições dentro da autoclave e uma validade de até dois anos. Cada camada da embalagem tem sua própria finalidade e, juntas, mantêm o alimento seguro dentro da embalagem.