Dados de desempenho de 2017

Cadeia de valor

Nossa meta climática para 2020 é limitar as emissões de gases do efeito estufa (GEE) em toda a cadeia de valor nos níveis de 2010, enquanto continuamos aumentando nossos negócios. Em 2016, fizemos um progresso significativo em relação a essa meta, alcançando uma redução de 16% em comparação com a base de referência de 2010 e, ao mesmo tempo, alcançamos um aumento de 19% no número de embalagens vendidas.

Detalhamento das nossas emissões da cadeia de valor em 2016

O detalhamento da emissão total da cadeia de valor, de acordo com os escopos do Protocolo GEE, é apresentado na tabela abaixo. A redução da emissão é calculada por meio da comparação entre as emissões absolutas da cadeia de valor no ano anterior com as de 2010 (que é o ano de base para a nossa meta climática de 2020). Os resultados do Escopo 3 por categoria podem ser vistos no CDP, relatório climático da Tetra Pak.

Detalhamento do impacto climático da nossa cadeia de valor

Mais de 90% das emissões de GEE na nossa cadeia de valor são provenientes de nossos fornecedores, que produzem as matérias-primas, e das instalações de nossos clientes, quando eles usam nossos equipamentos de processamento e envase.

Operações da Tetra Pak

O Escopo 1 inclui emissões diretas de nossas próprias operações, inclusive o consumo de combustível e o uso de solventes e líquidos refrigerantes. O Escopo 2 inclui emissões indiretas relacionadas a eletricidade, calor, vapor ou resfriamento. Nosso Escopo 2 total para 2016 foi calculado usando a metodologia "baseada no mercado". Isso significa que usamos as taxas de emissão específicas do fornecedor quando disponível, de acordo com os critérios de qualidade do escopo 2 do Protocolo de GEE, e que nossos resultados refletem o uso de energia renovável em nossas instalações. Juntamente com a redução nas emissões de nossa cadeia de valor, reduzimos também nossas emissões dos Escopos 1 e 2.

Emissões de GEE (Escopo 1 e 2)

O principal fator que contribui para as nossas emissões de escopo 1 e 2 é a eletricidade em nossas instalações, que corresponde a aproximadamente 75%. O que mais contribuiu para a redução das nossas emissões de escopo 1 e 2 foi o maior uso de eletricidade renovável, além de iniciativas para aprimorar a eficiência energética em nossas instalações.  

Emissões de GEE (Escopo 1 e 2) por fonte de emissões
Intensidade das emissões de GEE (Escopo 1 e 2), na produção de material de embalagem

Monitoramos as emissões de nossas operações de material de embalagem por milhão de embalagens padrão produzido.

Energia

O uso de energia relatado inclui a eletricidade comprada, o uso de combustível fóssil, como gás natural e aquecimento urbano (água quente/vapor). A eletricidade é a principal fonte de energia de nossas operações. Os combustíveis são usados no aquecimento e para fins específicos do processo, como secagem de tintas de impressão. Os gráficos abaixo descrevem o consumo de energia total em nossas operações no mundo todo. O uso de energia permaneceu relativamente estável, apesar dos aumentos na produção. Nossas fábricas de conversão consomem 81% do total de energia usada em nossas operações.

Uso de energia
Consumo de energia
Uso de energia por fonte
Intensidade energética na produção de material de embalagem

Monitoramos a eficiência energética de nossas operações de material de embalagem, medindo a energia usada para produzir um milhão de embalagens padrão. Como mostra este gráfico, o indicador permaneceu estável nos últimos anos, sem maiores flutuações.

Eletricidade

A eletricidade é a principal fonte de energia usada em nossas operações. 35% da eletricidade que consumimos em 2016 foi proveniente de fontes renováveis.

Consumo de eletricidade

Eletricidade renovável

 Em 2016, nossa porção renovável foi de 35%, em comparação com 22% em 2015.

Matérias-primas

Os dados nesta seção cobrem as matérias-primas usadas para produzir nossas embalagens cartonadas, incluindo laminados, fechamentos, canudos, tiras e filme.

O gráfico abaixo mostra as proporções relativas de cada tipo de matéria-prima usado em nossas embalagens.

Uso de matéria-prima por material de base principal
Uso de matéria-prima na produção de material de embalagem
Matérias-primas totais usadas na embalagem por peso

Resíduos de material de embalagem

Os resíduos de material são medidos como a diferença entre a matéria-prima consumida e o material de embalagem produzido. A taxa de resíduos de material é a porcentagem da média ponderada de resíduos da fábrica. A figura abaixo mostra a redução estável de resíduos de material de embalagem ao longo dos anos.

Resíduos de material de embalagem

Manipulação de resíduos

A manipulação de resíduos abrange todos os resíduos sólidos produzidos no envase e locais
de materiais adicionais, incluindo resíduos de produção e vários outros tipos de resíduos das instalações. O gráfico mostra as proporções de resíduos que são reciclados, incinerados (com ou sem recuperação de energia) e enviados para o aterro.

Manipulação de resíduos

Água

O gráfico descreve o consumo total de água em todas as instalações da Tetra Pak. A quantidade de água que usamos é modesta; apesar disso, procuramos reduzir o uso o máximo possível.

Uso corporativo de água

A principal fonte de água da Tetra Pak consiste em fornecimentos de água municipais (63%), seguido por água subterrânea (30%). Em 2016, não solicitamos aos escritórios que relatassem suas fontes de captação água na coleta anual de dados ambientais das instalações. Portanto, a água utilizada nessas instalações está indicada como outro/não especificado.

Captação de água por fonte

Nossas fábricas de conversão respondem pela maior porcentagem de uso de água, seguidas das operações de montagem de máquinas e equipamentos.

Uso de água total por função

Da mesma maneira que medimos a intensidade energética, monitoramos o uso de água em nossas operações por milhão de embalagens padrão.  

Intensidade do uso de água na produção de material de embalagem

Substâncias prejudiciais à camada de ozônio

Emissões de substâncias prejudiciais à camada de ozônio resultam de escapes de CFC/HCFC. A política da Tetra Pak é substituir o CFC, halon e todas as outras substâncias com alto potencial de destruição da camada de ozônio por substâncias alternativas que tenham menor impacto ambiental. Desde a implementação desta política, nossas emissões de substâncias prejudiciais à camada de ozônio caíram para níveis marginais.

Substâncias prejudiciais à camada de ozônio

Compostos orgânicos voláteis (VOCs)

As emissões de VOC surgem principalmente de solventes usados nas tintas de impressão e, em parte, da produção de chapa de impressão. Os dados abaixo representam o total de emissões de VOC ao ar, após o equipamento de redução.

Emissões de VOC na produção de material de embalagem

Também medimos emissões de VOC por milhão de embalagens padrão.

Intensidade das emissões de VOC na produção de material de embalagem

Silvicultura e papel-cartão

O número de embalagens com o selo FSC que fornecemos a nossos clientes cresce continuamente desde 2007, quando lançamos a primeira embalagem cartonada para bebidas com esse selo.

Embalagens com o selo FSC fornecidas

Reciclagem

A reciclagem pós-consumo é uma parte essencial da nossa agenda ambiental. Em 2010, definimos a meta de dobrar a nossa taxa de reciclagem para 40% até 2020. Desde então, estamos aumentando com êxito o número de embalagens recicladas anualmente.

Taxa de reciclagem global de embalagens da Tetra Pak
Número total de embalagens da Tetra Pak recicladas

Links relacionados

Quer saber mais?